Considerado um superalimento, devido a seus inúmeros benefícios à saúde, comprovados por meio de diversas pesquisas cientificas realizadas no mundo todo, o brócolis possui componentes fitoquímicos, com propriedades antioxidantes e anticancerígenas, que ajudam na prevenção de diversas doenças graves que atingem a população.

Rico em proteínas, cálcio, magnésio, manganês, selênio, ferro, zinco, ácido fólico, fibras, flavonoides e vitaminas, principalmente A, C e E, esta hortaliça vem sendo estudada ao longo dos últimos 20 anos e já apresentou resultados efetivos na redução do índice de incidência de vários tipos de câncer, como o de cólon, bexiga, mamas, útero, próstata, pulmões, esôfago e laringe, entre as pessoas que consomem grandes quantidades da hortaliça.

Isto porque pesquisadores constataram que algumas substâncias presentes no brócolis, como o sulforafano, ajudam a inibir a evolução de tumores e o crescimento deles, ampliando a ação de enzimas protetoras no organismo.

Confira, abaixo, a tradução da notícia publicada sobre a pesquisa realizada com o brócolis, no site do College of Agricultural, Consumer and Environmental from University Of Illinois At Urbana-Champaign Sciences – http://news.aces.illinois.edu/news/discovery-may-help-scientists-boost-broccolis-cancer-fighting-power

Um pouco sobre o estudo

Um estudo realizado na Universidade de Illinois, nos Estados Unidos demonstrou, pela primeira vez, que o sulforafano – poderoso agente contra o câncer presente no brócolis – é liberado do seu composto original por bactérias que vivem no intestino grosso, sendo então absorvido pelo organismo.

“Esta descoberta abre a possibilidade de sermos capazes de aumentar a atividade dessas bactérias no cólon, aumentando o poder que o brócolis tem na prevenção do câncer,” disse Elizabeth Jeffery, uma das autoras da pesquisa.

“Também é reconfortante, porque muitas pessoas cozinham demais o brócolis, destruindo sem querer a enzima vegetal que nos fornece o sulforafano. Nós agora sabemos que a microbiota do nosso trato digestivo pode salvar uma parte desse importante agente de prevenção do câncer mesmo que isso aconteça,” disse ela.

Glucorafanina e sulforafano

Embora os cientistas tenham teorizado há muito tempo que a microbiota intestinal poderia executar esse papel, o processo nunca havia sido verificado diretamente e não se sabia quais seriam os agentes de sua realização.

Agora, Jeffery e seus colegas Michael Miller e Ren-Hau Lai comprovaram a teoria. Eles injetaram glucorafanina, o composto pai do sulforafano, no intestino inferior de ratos e demonstraram que o sulforafano estava presente no sangue da veia mesentérica, que flui do intestino para o fígado.

“A presença do sulforafano em quantidades mensuráveis mostra que ele está sendo convertido na parte inferior do intestino e está disponível para absorção no organismo,” explica Jeffery.

O ceco, a parte inferior do intestino dos ratos nos quais os cientistas inocularam a glucorafanina, abriga bactérias que ajudam na digestão e no metabolismo, de forma semelhante ao que acontece no cólon humano.

Anticâncer e anti-inflamatório

De acordo com Jeffery, o sulforafano é um agente extremamente potente contra o câncer: “A quantidade que você obtém em 3 a 5 porções por semana, que é menos do que um ramo diário de brócolis, é o suficiente para ter um efeito anticâncer. Com muitos dos outros alimentos bioativos dos quais você ouve falar, são necessárias quantidades muito maiores para se ter um resultado mensurável.”

O sulforafano também tem propriedades anti-inflamatórias, que são vistas com interesse pelos cientistas por sua capacidade de combater os efeitos de muitas doenças crônicas que acompanham a obesidade e o envelhecimento.

Miller sugere duas formas pelas quais as bactérias no intestino poderiam ser manipuladas para se obter um poder extra do brócolis ingerido.

“Uma forma seria a de alimentar as bactérias desejáveis com probióticos para incentivar sua proliferação. Outra forma seria a utilização de uma abordagem combinada, por exemplo, brócolis com molho de iogurte, que contém as bactérias hidrolisadoras, dessa forma aumentando a sua proteção contra o câncer,” explica a cientista.

Cuide das suas bactérias

Se alimentar bactérias não soa particularmente atraente, a cientista destaca que as bactérias não trazem sempre más notícias. “Uma das coisas sobre o que não pensamos muito é a enorme quantidade de benefícios que experimentamos quando uma comunidade saudável de bactérias coloniza nosso intestino grosso,” diz ela.

“Nós, seres humanos, temos uma relação simbiótica com inúmeros micróbios famintos, que metabolizam vitaminas e outros componentes bioativos dos alimentos. Agora podemos ver outro exemplo interessante da sua atividade, com o papel que desempenham na captura do sulforafano do brócolis,” conclui ela.